King of Bones BIO

KING OF BONES - DON'T MESS WITH THE KING (2016)
 
Encerrada a promoção do álbum de estreia, "We Are The Law" (2013), o King Of Bones passou de promessa a realidade. De meros iniciantes desconhecidos, Júlio Federici (vocal), Rene Matela (guitarra), Rafael Vitor (baixo), Renato Nassif (bateria) sentiram a resposta positiva durante a turnê, em que realizaram diversos shows ao lado da banda de Andre Matos (ex-Angra, Viper, Shaman). Sem criar alarde ou forçar expectativa, os músicos foram conquistando fãs e formando uma base sólida de seguidores. O público, acostumado a ver bandas de abertura sem tanto interesse, se surpreendeu. O segredo é simples. Cada vez que eles sobem ao palco, pensam especificamente em mostrar seu valor e se divertir tocando suas músicas. Assim, além de conseguir cativar as pessoas, o grupo vem galgando degraus importantes para a sequência dos trabalhos.
 
Praticando um Hard'N'Heavy com influências de Dio, Ozzy Osbourne, Whitesnake, Harem Scarem e Blue Murder, os músicos conseguiram passar sua personalidade em "We Are The Law" (2013), gravado no Norcal Studios com os produtores e engenheiros de som Brendan Duffey e Adriano Daga. As ações dos músicos falam por si e, assim como retratam no disco de estreia, eles seguem buscando a realização dos sonhos.
 
O passo seguinte chega agora com o novo álbum, "Don't Mess With The King" (2016), lançado de forma independente no Brasil e na Europa pela gravadora dinamarquesa Lions Pride Music. O álbum conta com a participação do guitarrista André "Zaza" Hernandes (ex-Andre Matos) em "The World Goes Round" e do tecladista Fabio Ribeiro (Remove Silence, ex-Andre Matos, Angra, Shaman, A Chave do Sol).
 
O material, que contou com produção a cargo de Henrique Baboom e capa de Gustavo Sazes, conta com o videoclipe promocional para a faixa "Hold Me Closer". O grupo iniciou a promoção com shows em São Paulo – Gillan's Inn e nos festivais "Rock na Porta" e "Rock na Casa" – e estreou nos palcos da Argentina. No momento, o grupo agenda mais datas e inicia a divulgação no exterior. O objetivo do quarteto, que efetivamente encontrou a sua identidade musical em "Don't Mess With The King", segue sendo manter a base de fãs que foi conquistada e dar um passo adiante.
 
No Brasil, a versão física de "Don't Mess With The King" está à venda na loja Die Hard (Galeria do Rock) em https://is.gd/ckT8ER
 
Videoclipe "Hold Me Closer":
https://www.youtube.com/watch?v=37yijuXXtoc
 
Ouça o álbum no Spotify:
https://open.spotify.com/album/7uusq8OjIYwWSbFfl4KtVj
 
Sites relacionados:
Site: www.kingofbones.com.br
Facebook: www.facebook.com/kobrockband
Youtube: www.youtube.com/kingofbonesofficial
CD Baby: http://cdbaby.com/cd/kingofbones
iTunes: https://is.gd/hS9Tur
Lions Pride Music: http://www.lionspridemusic.com

Contato para shows e merchandising: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.



OS MÚSICOS: 

JÚLIO FEDERICI (VOCAL): 
Através da influência de seu pai, também cantor e fã de Elvis Presley, O Rock'n'Roll sempre foi presente na vida do vocalista Júlio Federici. No entanto, o sonho de se tornar vocalista profissional se deu após assistir a um show do saudoso Ronnie James Dio. Após um período autodidata, pesquisando técnicas vocais por conta própria, matriculou-se no curso de canto lírico do instituto Souza Lima, onde participou do coral da Instituição, além de fazer aulas particulares para desenvolver técnicas específicas para o Rock. "A voz é algo fascinante, natural, que está dentro do seu próprio corpo (...). Nasce contigo, vive contigo. Se transforma ao longo de sua vida, tanto por técnica quanto pelo próprio envelhecimento, assim como um instrumento." 

RENE MATELA (GUITARRA) 
Desde criança, Rene Matela andava pela casa batucando em objetos ou solfejando notas aleatoriamente. Aos 10 anos, suas atenções foram voltadas para o mundo do Rock'n'Roll, quando seu pai o colocou para escutar o álbum "Hotter Than Hell" (Kiss) pela primeira vez. A partir desse momento, ele decidiu se tornar um guitarrista. Canhoto, descobriu nas coisas do seu pai dois discos que mudariam sua vida: o 'debut' do Van Halen e um de Jimmy Hendrix. “Foram as duas descobertas mais importantes da minha vida. Afinal, eu não era o único guitarrista canhoto do mundo." A partir daí, mesmo sem nunca ter feito aulas, Rene seguiu em frente estudando por conta própria, contando com um excelente ouvido musical. 

RAFAEL VITOR (BAIXO) 
A música sempre esteve presente na vida e na família de Rafael Vitor. Por influência de amigos e de seu irmão, que ouvia bandas como Dr.Sin, Ozzy, Pantera e outras, despertou o interesse em tocar um instrumento. Com a ajuda do seu avô, aprendeu algumas progressões harmônicas bem básicas, num violão antigo até depois passar a estudar guitarra por três anos. Certo dia, foi convidado por um amigo para fazer parte de uma banda que faltava um baixista. "Eu fiquei com um pouco de receio mas acabei topando... Afinal, inicialmente era uma coisa provisória." No fim das contas, se interessou bem mais pelo baixo que pela guitarra e, desde então, participou de diversas bandas cover, ecléticas e alguns projetos autorais dentro do Rock'n'Roll. 

RENATO NASSIF (BATERIA) 
A família de Renato Nassif sempre esteve envolvida com a arte. Seus pais são fãs de MPB e sua irmã é atriz e professora de teatro. Foi escutando os discos de Rock do seu primo que Renato se interessou pela música. Uma das bandas que nessa época mais chamava sua atenção era o AC/DC. "As músicas cativantes, os riffs poderosos desta banda fizeram com que eu me tornasse um grande fã do estilo e a deixar o meu cabelo crescer na adolescência." Ainda garoto, começou a tocar violão, mas estava sempre batucando em algum objeto ou com algo que estivesse ao seu alcance. Ele sentia falta de um instrumento que fosse mais agressivo e por isso resolveu aprender a tocar bateria por conta própria. Foram bandas como Queensrÿche, Rush e Dream Theater que fizeram com que Renato pensasse seriamente em compor suas próprias músicas. 


Visit fbetting.co.uk Betfair Review