Sidney Ubeda vê ampla vantagem para Tyson caso combate contra Jones Jr se torne ‘real’

O experiente técnico de Boxe, Sidney Ubeda, que está radicado nos Estados Unidos há muito tempo, vê uma vantagem muito grande para Mike Tyson, de 54 anos, caso o combate diante do Roy Jones Jr, de 51 anos, se torne uma luta real. Os dois veteranos realizam a aguardada ‘exibição’ neste sábado (28 de novembro), no Staples Center, em Los Angeles, Estados Unidos. O programa começa às 22h (de Brasília).

De acordo com Ubeda, o Iron Man, mesmo afastado dos combates há 15 anos, leva vantagem em diversos quesitos. “A luta entre Mike Tyson e Roy Jones Jr nunca havia sido imaginada. O que é compreensível, pois são dois pugilistas de pesos diferentes, naturalmente, a potência dos golpes é diferente e a capacidade de receber golpes é infinitamente favorável a Mike Tyson”, analisou.

“Além disso, Mike Tyson possui uma velocidade acima da média dos pesos pesados, fato que dá a ele grande vantagem numa luta real. Já a expectativa é como Roy Jones Jr irá se defender dos velozes e potentes golpes de seu oponente, caso essa exibição se torne uma luta real”, completou Ubeda.

O cartel de Mike Tyson apresenta 50 vitórias, sendo 44 por nocaute (KO), e seis derrotas. Já Roy Jones Jr obteve 66 vitórias, 47 pela via rápida (KO), e sofreu nove derrotas.

Pacquiao x Horn: “já vi coisa pior”

O experiente técnico e ex-pugilista Sidney Ubeda Gomez, de 58 anos, que está radicado há vários anos nos Estados Unidos, acompanhou ao combate, envolvendo o veterano filipino Manny Pacquiao e o promissor australiano Jeff Horn, ocorrido na noite de sábado (1o de julho), no lotado Suncorp Stadium (Lang Park), na Austrália.

Em decisão unânime e até polêmica dos jurados, Horn venceu com esta contagem: 117 a 111, 115 a 113 e 115 a 113. “Pacquiao e Horn realizaram um grande combate, com o que é preciso para agradar ao público; troca violenta de golpes com técnica, o experiente diante do jovem, o favorito e a ‘zebra’ e dois atletas dando o máximo para vencer. Acredito que o filipino venceu, colocando os melhores golpes durante a luta, principalmente, nos rounds intermediários, porém Horn não permitiu em nenhum momento o controle da luta por parte de Pacquiao, sempre contragolpeando perigosamente e atacando com precisão e eficiência. Os primeiros cinco rounds foram equilibrados podendo ir para um ou outro”, relata Ubeda.

“O corte, por choque acidental de cabeça, sofrido por Pacquiao no sexto round, fez com que ele diminuísse o ritmo no sétimo e oitavo assaltos para vencer claramente o nono, colocando Horn em más condições, quase parando a luta. Não aconteceram momentos de total controle na luta por um ou outro boxeador, a não ser no nono round, em favor de Pac. Mostrando muita garra, Horn voltou a equilibrar as ações, quando tudo parecia estar caminhando para uma vitória clara do filipino. Foi uma grande luta, com dois boxeadores fortes, técnicos e competitivos”, acrescenta o brasileiro.

“O resultado, bem... o resultado? Já vi bem piores....”, complementa Ubeda.

Currículo
O brasileiro Sidney Ubeda Gomez foi boxeador amador (1975-1978) e profissional (1988-1989). Treinou atletas e academias conceituados, tais com BCN (1978-1983), Training Club (1984-1987) e Esporte Total (1988), Coliseu Boxe Center (1993-2000); foi treinador profissional nos Estados Unidos (1989-1992) e do renomado pugilista Adilson “Maguila” Rodrigues (1992-1993/1995-1997).

Além disso, foi técnico da Confederação Brasileira de Boxe (1998-2003), treinador campeão Brasileiro pela equipe de São Paulo (1989), treinador campeão Brasileiro de Novos com a equipe de São Paulo (1981), manager da NYSAC/EUA (2005), técnico da Ringside Gym de New Jersey/EUA (2005-2007) e técnico Union City Boxing Club, trabalhando com o atleta profissional Jason Escalera (desde 2012). Atualmente, também é proprietário da Academia Coliseum Boxe Center, nos Estados Unidos.

 

Muhammed Ali: uma luz que brilhará para sempre!

(*) por Sidney Ubeda Gomes

O lendário pugilista Muhammed Ali, um dos maiores nomes do Boxe em todos os tempos, não está mais entre nós. ‘The Greatest’ faleceu na sexta-feira (03 de junho), aos 74 anos (17 de janeiro de 1942), nos Estados Unidos, vítima de uma doença degenerativa. Seja lá onde quer que Ali esteja agora, o nosso lado foi o que perdeu.

A meu ver, Muhammed Ali foi um homem muito além do boxeador, do atleta e do ídolo. Cassius Marcellus Clay Jr., nascido em Louisville, Kentucky (EUA), foi um modelo de personalidade, de determinação e de autorespeito para todos, uma vez que os seus ideais sempre estiveram à frente dos seus interesses materiais.

Um ser humano intenso e alegre, que nunca se abateu diante de seus adversários e de sua enfermidade. Tive a oportunidade de conhecê-lo pessoalmente e constatei toda a sua magia de perto, por isso, me considero um privilegiado.

Muhammed Ali a sua luz sempre brilhará, onde quer que você esteja!

(*) O brasileiro Sidney Ubeda Gomez foi boxeador amador (1975-1978) e profissional (1988-1989). Foi treinador de atletas e academias conceituados, tais com BCN (1978-1983), Training Club (1984-1987) e Esporte Total (1988) e Coliseu Boxe Center (1993-2000); foi treinador profissional nos Estados Unidos (1989-1992) e do renomado pugilista Adilson “Maguila” Rodrigues (1992-1993/1995-1997). Além disso, foi técnico da Confederação Brasileira de Boxe (1998-2003), treinador campeão Brasileiro pela equipe de São Paulo (1989), treinador campeão Brasileiro de Novos com a equipe de São Paulo (1981), manager da NYSAC/EUA (2005), técnico da Ringside Gym de New Jersey/EUA (2005-2007) e técnico Union City Boxing Club (desde 2012)

Sidney Ubeda Gomez acompanha dois ex-atletas olímpicos do Brasil lutando no mesmo programa nos Estados Unidos

Os pugilistas Cleiton Conceição, Sydney/2000, e Esquiva Falcão, a maior conquista do Boxe brasileiro em Jogos Olímpicos, medalha de prata em Londres/2012, agora como profissionais, se apresentaram no moderno Prudential Center, em Newark, Nova Jersey, nos Estados Unidos, na noite de sexta-feira (08 de maio).

Na visão do treinador brasileiro, radicado há vários anos nos Estados Unidos, Sidney Ubeda Gomez, de 56 anos, o médio-ligeiro Esquiva Falcão foi muito bem e dominou por completo seu adversário, o norte-americano Paul Harness. “O oponente do brasileiro, mesmo inferiorizado sempre procurou atingir a Falcão, que absorveu muito bem o ataque de Harness, impondo seu jogo e provocando o TKO (nocaute técnico) no terceiro round”, analisa o ex-técnico da Confederação Brasileira de Boxe (CBB) e do boxeador Adilson “Maguila” Rodrigues.

Já o meio-pesado Cleiton Conceição enfrentou o invicto norte-americano Sean Monaghan, na melhor e mais competitiva luta da noite. “Monaghan foi agressivo na maior parte do combate, frequentemente foi recebido por contra-ataques e golpes de encontro desferidos pelo brasileiro. Cleiton partiu para o ataque nos últimos três rounds, conectando potentes golpes, entretanto, o norte-americano resistiu ao castigo e recebeu a vitória de presente. A popularidade de Sean não evitou que ele saísse do ringue com os dois supercílios cortados, um olho fechado e a vitória”, opina Gomez.

O brasileiro Sidney Ubeda Gomez foi boxeador amador (1975-1978) e profissional (1988-1989). Foi treinador de atletas e academias conceituados, tais com BCN (1978-1983), Training Club (1984-1987) e Esporte Total (1988), Coliseu Boxe Center (1993-2000); foi treinador profissional nos Estados Unidos (1989-1992) e do renomado pugilista Adilson “Maguila” Rodrigues (1992-1993/1995-1997).

Além disso, foi técnico da Confederação Brasileira de Boxe (1998-2003), treinador campeão Brasileiro pela equipe de São Paulo (1989), treinador campeão Brasileiro de Novos com a equipe de São Paulo (1981), manager da NYSAC/EUA (2005), técnico da Ringside Gym de New Jersey/EUA (2005-2007) e técnico Union City Boxing Club, trabalhando com o atleta profissional Jason Escalera (desde 2012).

Visit fbetting.co.uk Betfair Review