“Advogado do Povo”, Sergio Tannuri informa sua saída da Band

O especialista em Direito do Consumidor está disponível para atender outras emissoras

Diante das mudanças no programa “Aqui na Band” anunciadas pela imprensa, o advogado Sergio Tannuri, especialista em Direito do Consumidor, informa que está disponível para atender todas as emissoras e veículos de comunicação que solicitarem sua entrevista e participação em pautas e matérias.

Desde maio de 2019, o advogado Sergio Tannuri integrou o time de colunistas do programa “Aqui na Band”, apresentado por Sílvia Poppovic e Luis Ernesto Lacombe. Com experiência na televisão, Tannuri conduzia o quadro “Advogado do Povo”, com dicas aos consumidores e matérias com casos verídicos de telespectadores que pediam ajuda. Ficou famoso pelo bordão “Tannuri Neles!”, que os apresentadores sempre bradavam quando algum consumidor tinha problemas em relações de consumo.

Além da brilhante atuação no programa Aqui na Band, Tannuri viveu também experiências importantes e bem-sucedidas na Rede Record, no quadro ‘Patrulha do Consumidor’, e na TV Gazeta, com várias participações no programa Todo Seu, apresentado por Ronnie Von.

Santo André inclui conversa com psicóloga nas conferências online

O Santo André/APABA/Caoa Chery instituiu em suas conferências online, uma conversa com a psicóloga Marcia Regina, que fará a Orientação Psicológica das atletas e comissão técnica durante o isolamento social, provocado pela pandemia do coronavírus. O contato inicial, que foi aprovado por todos, aconteceu na sexta-feira (24 de abril).

“Este foi o primeiro contato, ouvi as dificuldades que estão enfrentando e orientei. Ainda não foi um trabalho específico, o qual darei início na próxima sexta-feira (1º de maio). O trabalho de Orientação Psicológica tem como objetivo cuidar da saúde mental e emocional das atletas durante o isolamento e também com relação aos medos, depressão e ansiedade desencadeados pela Covid-19”, comentou Marcia Regina.

Para a técnica Arilza Coraça, o cuidado emocional é sempre importante e nesse momento é imprescindível. “A Marcia Regina é uma profissional experiente e extremamente competente, que sempre está ao nosso lado, auxiliando bastante, por isso, neste momento difícil incluímos uma conversa semanal com ela em nossas reuniões online. A psicologia esportiva é uma área ainda pouco valorizada no Brasil, mas é de uma valia muito grande, especialmente num momento como esse”, analisou.

“É característica de um atleta a superação diária e, acompanhando nossas meninas, percebemos que a motivação e o estado de humor foram lá ‘no pé’, mesmo buscando inovação semana a semana. A ‘psicologia esportiva veio para cumprir seu papel que é fundamental. A Márcia Regina, é uma excelente profissional e respira basquete por longos anos e nos acompanhará semana a semana daqui para frente (tanto nossa comissão técnica quanto nossas atletas). Sendo assim, esse conjunto vai se tornar mais frutífero e podemos melhorar a motivação pelo treinamento em casa”, complementou a preparadora física Luciane Moscaleski.

Já a lateral Maíra Horford, considerou bastante proveitosa esta iniciativa. “Achei uma conversa muito legal e muito importante, pois ela nos mostrou um caminho para seguir nessa quarentena sem desanimar e para sempre seguirmos em frente. Ela falou o que nós podemos fazer para manter a cabeça boa nesse momento que estamos passando e acredito que tenha ajudado o time todo; sei que foi muito bom para mim. E, eu realmente vou seguir tudo o que ela me falou”, comentou.

“Acho que foi muito bom e interessante. Isso nos ajudará muito a enfrentar melhor a quarentena e nos manter conectados. Eu gosto muito da ideia”, complementou a argentina Pag Gozales, também armadora do Santo André/APABA/Caoa Chery.

De acordo com Arilza, essa ação ocorrerá uma vez por semana (sexta-feira) durante o isolamento social, motivado pela pandemia do coronavírus. “É uma situação diferente, nova e difícil para todos, por isso, é sempre importante dar esse suporte emocional as nossas jogadoras e comissão técnica”, finalizou Coraça.

União Desportiva Santarém trabalha para estar na elite do futebol português em alguns anos

O União Desportiva Santarém, que disputa a terceira liga do futebol português, tem objetivos definidos para o futuro. De acordo com o gestor, José Francisco Gandarez, a equipe fundada há cinquenta anos espera estar na elite do futebol de Portugal num período não tão distante.

Para isso, o dirigente tem apostado na formação, não só pensando na carreira de atleta, como também na preparação completa do cidadão. “O União Desportiva de Santarém é um clube com cinquenta anos de história, que está a disputar o campeonato de Portugal (3ª Divisão), existindo em cima apenas o futebol profissional: a 2ª liga (com dezoito clubes) e a 1ª liga (também com dezoito clubes). O que se pretende, por um lado, é chegar à Primeira Liga dentro de três a cinco anos”, relatou Gandarez, que é formado em Direito e defendeu o time de Santarém na base, durante dez anos.

“Por outro lado, o objetivo é apostar forte na formação de jogadores e homens. Ser muito forte na sua escola formativa: do jovem jogador de futebol, independentemente da sua origem, seja português, brasileiro ou de outras nacionalidades”, explicou José Francisco.

Sobre o atual momento do futebol português, Gandarez acredita em mudanças depois da paralização por conta do coronavírus. “Existe um antes do vírus e outro depois dele. Ao nível da formação, do futebol jovem os clubes trabalham bem. Já ao nível do futebol sénior existe um claro desequilíbrio, entre quatro ou cinco clubes mais dominantes, com mais receitas, massa associativa e os outros clubes mais pobres, muito dependentes das receitas televisivas”, explicou.

“Acontece que em Portugal, os direitos de televisão não estão centralizados, cada clube negocia diretamente, o que acentua a diferença de valores entre um Benfica e outros clubes. Agora com o vírus, é um mundo de incertezas, com quebras nas receitas, nos ingressos, nos patrocínios, publicidade e direitos de televisão; vai ser difícil”, acrescentou.

“O futebol português ao nível das seleções é forte, mas ao nível das equipes a competir na Europa é mais limitado. Os orçamentos dos clubes portugueses face a Espanha, Inglaterra, Itália ou Alemanha são muito inferiores”, complementou José Francisco.

No tocante ao futebol brasileiro, José Francisco acredita que vai crescer mais nos próximos anos. “O futebol brasileiro tem o talento natural do jogador, a paixão da torcida e que agora está a recuperar na sua organização, na formação dos seus dirigentes e a profissionalizar a sua gestão e modelo. Perspectivo, um campeonato cada vez mais competitivo e uma valorização cada vez maior dos seus jogadores”, comentou.

O Brasileirão está mais competitivo e organizado. Presentemente, o UDS tem três jogadores brasileiros (Ítalo, Allan e Guilherme) no plantel sénior e três jogadores no futebol juvenil”, acrescentou Gandarez, que está feliz e satisfeito com o auxílio prestado pela SR, através do empresário Rafael Moura.

“O Rafael veio morar para Santarém e escolheu bem a cidade. Trabalha bem, respeita o jogador e assegura condições aos mesmos. Entende a linguagem do futebol e sabe que tem que se trabalhar a longo prazo. Estamos começando a nos conhecer melhor, mas tem ajudado o União Desportiva Santarém e penso que vai ser importante no futuro”, explicou Gandarez.

O gestor português vê semelhanças no trabalho de formação realizado no Brasil e também em Portugal. “A Europa, pela sua capacidade financeira, em especial a Liga Inglesa pelos investimentos realizados, será a liga mais forte do mundo. Mas na formação, no jovem jogador, o dinheiro já não é tão diferenciador e aí o Brasil e Portugal são muito fortes”, comentou.

E, José Francisco Gandarez já tem planos definidos para o futuro. “Futebol é uma paixão e um conteúdo único de entretenimento. Será sempre uma indústria de presente e futuro. Tenho empresa na área de conteúdo, além de escritório de advogados”, explicou.

“Como paixão e como adepto pretendo levar o União de Santarém à primeira divisão. Como investidor, ambiciono conseguir ter um negócio sustentável no futebol. Fundamental para não perder o prazer”, finalizou José Francisco Gandarez.

Santo André segue programação individualizada e acompanhamento online das atletas

A técnica Arilza Coraça, que segue cumprindo o confinamento social por conta da pandemia do coronavírus, revelou ter ficado emocionada ao conversar com as jogadoras do Santo André/APABA/Caoa Chery, mesmo que virtualmente. O grupo se reuniu para um bate-papo através da internet, abordando o atual momento e também para discorrer sobre os treinamentos individualizados.

“Entendemos que esta é uma situação bem séria e com o futuro incerto, mas conversamos sobre os treinos, os cuidados e sobre as reuniões que a Liga de Basquete Feminino (LBF) tem feito, que são importantes, já que todas as atletas foram convidadas. Vários assuntos foram abordados: doping, imagem, marketing e arbitragem, entre outros; o mais legal é que todos ficam conectados”, relatou Arilza.

“Seguimos acompanhando os treinamentos das atletas através dos vídeos que as elas nos encaminham. Vamos seguir trabalhando desta forma até que a situação da pandemia do coronavírus mude de status e os órgãos de saúde indiquem a liberação dos treinos coletivos”, complementou a treinadora da equipe andreense.

Já a preparadora física, Luciane Moscaleski, tem mantido contato constante com as jogadoras, o que ajuda a seguir rigorosamente a programação elaborada pela comissão técnica. “Continuamos, enquanto comissão técnica, nos reunindo online e buscando as melhores alternativas para realização dos exercícios em casa e em espaços limitados. Estou fazendo o mesmo acompanhamento com as escalas que eu já utilizava no dia a dia de treinamento e uma das respostas que me preocupa é a questão motivacional. O que era esperado aconteceu, a curva mudou, ou seja, a motivação estava caindo nos últimos dias; e o que fazer para melhorar isso?”, explicou.

“Nós da comissão técnica, além das atualizações no treinamento físico, inserimos uma atividade ‘tática’ via edição de vídeos. Elas receberam (nesta semana) vídeos editados dos adversários e estão cumprindo uma tarefa para discussão online na próxima semana. Assim, mantemos o foco nas questões táticas também”, acrescentou Moscaleski.

“Nesta semana tivemos uma reunião online e foi bem emocionante o encontro com todas na ‘telinha" do computador’. A essência da equipe permanece, porém com mais vigor, uma incentivando a outra, isso mostra a nossa união”, complementou a preparadora física.

Para a armadora Lays da Silva, reforço andreense para esta temporada, o trabalho individual está seguindo da melhor maneira possível. “Confesso que é bem diferente, pois estamos sentindo falta dos treinamentos mais intensos e coletivos, de estar na mesma pegada que estávamos; sentindo falta de bater uma bola e arremessar, ou seja, de estar dentro de quadra. Está sendo difícil nessa parte da saudade, da preocupação de se manter fisicamente e manter, teoricamente, a cabeça boa para quando tudo isso passar e as atividades voltarem ao normal”, comentou.

“Por outro lado, está sendo bom, porque as nossas preparadoras físicas estão sempre nos acompanhando, enviando os treinamentos e atualizando constantemente as informações. Estamos buscando fazer o que elas nos passam para não perder tudo o que já trabalhamos e não ter que recomeçar do zero”, completou Lays.

O calendário da temporada 2020/2021 do basquete feminino paulista e nacional vai sofrer modificações, que serão determinadas apenas quando a situação da pandemia estiver controlada.

Vitor Manuel tem objetivos definidos para a sequência da sua carreira

O volante Vitor Manuel, de 19 anos (05 de fevereiro de 2001), faz uma análise positiva da sua participação na temporada, quando foi titular da AD Fazendense na disputa do Campeonato Distrital Português. Prova disso, é que o brasileiro integrou o selecionado distrital, sendo apontado o melhor jogador da sua posição.

Com esse panorama positivo, Vitor tem objetivos definidos para o futuro. “Quero me manter como titular da minha equipe e fazer uma boa temporada para chamar a atenção dos clubes mais tradicionais portugueses e europeus, pois almejo coisas maiores para a sequência da minha carreira. Para isso, sei que preciso trabalhar duro e estar muito focado nos treinamentos e jogos”, relatou.

Já para Rafael Moura, da SR Sporting destacou o bom início do atleta no futebol português. “O Vitor vinha fazendo uma excelente temporada, atuando como titular e se destacando, por isso, integrou a Seleção Distrital. Mas, infelizmente, a temporada foi encerrada prematuramente e agora ele tem que se preparar e focar a próxima, pois já tem equipes mais tradicionais portuguesas acompanhando o seu desempenho”, explicou o empresário do jogador.

O volante está trabalhando individualmente, mantendo a forma física para quando a situação da pandemia do coronavírus estiver mais controlado e as atividades voltarem ao normal. “Estou treinando em casa, fazendo o que foi solicitado pela nossa comissão técnica para estar em boas condições físicas para quando voltarmos a treinar coletivamente. Tenho objetivos definidos para a próxima temporada e quero estar no meu melhor para poder alcançá-los”, explicou Vitor Manuel.

“Aonde eu resido, em relação à pandemia, as coisas estão controladas. Mas, este é um momento de atenção geral em que precisamos seguir fielmente o que foi indicado pelos órgãos de saúde para evitar a proliferação da doença, seja aqui em Portugal ou mesmo no Brasil; essa é uma luta mundial”, completou o brasileiro, se referindo a pandemia.

Ao longo de sua carreira, Vitor Manuel de Oliveira, de 1m80 e 69kg, que é natural de Araraquara (SP), defendeu a Ferroviária de Esportes e o Grêmio Sãocarlense.

Sergio Tannuri alerta sobre golpes no Auxílio Emergencial criado pelo Governo Federal

Mais uma vez o quadro Advogado do Povo, do programa Aqui na Band, comandado pelo advogado Sergio Tannuri, especializado em Direto do Consumidor, enfocou um assunto de extrema relevância e atual, prestando mais um importante serviço ao telespectador. O assunto em pauta foi o crescente número de golpes sofridos pelos cidadãos que pleiteiam o benefício do Auxílio Emergencial, apelidado de “corona voucher”, que é um benefício financeiro criado pelo Governo Federal e destinado aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI), autônomos e desempregados.

“Falsos links, mensagens de aplicativos e sites piratas estão sendo usados pelos golpistas para invadir dispositivos eletrônicos, como celulares, notebooks e computadores de mesa, para roubar os dados cadastrais da vítima e usá-los na prática de outros crimes”, explicou Tannuri.

Segundo levantamento do dfndr lab, laboratório de segurança digital da PSafe, o número de golpes é assustador: 6,7 milhões de pessoas já foram vítimas de golpes com link falso para realizar o cadastramento para o auxílio emergencial.

Para receber o referido benefício, o cidadão precisa se encaixar em todos estes requisitos: ter mais de 18 anos; não ter emprego formal; não receber os benefícios previdenciário, assistencial, seguro-desemprego e Programa de Transferência de Renda Federal (Bolsa Família não impede receber Auxílio Emergencial). Além disso, a renda familiar mensal tem que ser até R$ 522,50, por pessoa ou até R$ 3.135,00, no total da renda familiar; não ter recebido rendimentos tributáveis, no ano de 2018, acima de R$ 28.559,70; estar desempregado ou exercendo atividades em uma das seguintes condições: microempreendedor Individual (MEI), contribuinte individual ou facultativo do Regime Geral de Previdência Social; trabalhador Informal; e não ser agente público, inclusive temporário, nem exercer mandato eletivo.

“A instabilidade financeira e o medo provocados pela pandemia do coronavírus estão sendo explorados por quadrilhas de estelionatários, que têm o intuito de roubar dados pessoais e financeiros das vítimas”, acrescentou o advogado Tannuri, salientando que o Governo Federal distribuirá cupons por três meses, com o intuito de proteger os trabalhadores informais, as pessoas sem assistência social e a população que desistiu de procurar emprego.

Infelizmente, mesmo na época de pandemia, os golpistas têm lesado milhares de pessoas através de links falsos para cadastros. “A população tem que redobrar os cuidados com esses links maliciosos compartilhados por aplicativos de mensagens e por redes sociais, pois os criminosos têm como objetivo roubar dados pessoais e financeiros dos internautas. Toda atenção é necessária”, finalizou Tannuri.

Gonçalo Carvalho é um nome para o futuro do futebol português

O técnico Gonçalo Carvalho tem investido em conhecimento e experiência para buscar crescimento gradativo e constante, visando desenvolver uma carreira esportiva sólida e alicerçada. Aos 37 anos de idade, o português comanda atualmente a Associação Desportiva Fazendense.

Em termos acadêmicos, o referido treinador, além da licenciatura em Ciências do Desporto (faculdade de Motricidade Humana), completou Mestrado em Treinamento Desportivo (Escola Superior de Desporto de Rio Maior) e está em fase de pré-projeto para o Doutoramento na mesma área (Desporto com especialização em Treino Desportivo).

“Com 17 anos, ingressei no curso superior de Ciências do Desporto – Faculdade de Motricidade Humana (a faculdade com mais prestígio do país, de onde saíram treinadores como José Mourinho ou Jesualdo Ferreira). Em 2002, dei início a carreira como treinador na Associação Académica de Santarém, dirigindo as ‘Escolinhas’. Comandei também a equipe mais nova do clube, num torneio regional, perdendo na final com o Sport Lisboa e Benfica”, relatou.

Em 2003, Carvalho foi convidado para treinar a categoria acima do mesmo clube, o sub-10, ficando na segunda colocação distrital. Já entre 2004 e 2006, seguiu desempenhando as funções de treinador principal, no sub-10, sub-11 e sub-12.

“Em 2005, entretanto, dei início a um projeto de formação na minha aldeia – Moçarria (nas proximidades de Santarém, com cerca de 2000 habitantes). No CCRD Moçarriense, eu desempenhei as funções de coordenador técnico (2005 a 2011), treinador de sub-07, sub-08, sub-09, sub-10, sub-11, sub-12 e sub-13 e juvenis (até 2013)”, informou.

A destacar o fato destes jogadores que Gonçalo acompanhou na base se tornarem campeões distritais de iniciados (15 anos) e juniores (19 anos), acedendo aos campeonatos nacionais. “Em 2013, por necessidade do clube, identificação com o trabalho e desenvolvimento de jovens, fui convidado a assumir a equipe principal, num projeto novo, a começar do zero (sénior), dando continuidade ao que foi desenvolvido no futebol de formação”, relatou o treinador, que na segunda temporada (2015), subiu de divisão e valorizou alguns jovens (que jogaram no time principal com idade de júnior). “Aí senti necessidade de abraçar um novo desafio”, complementou.

Em 2015, Carvalho assumiu o cargo de treinador principal da União Desportiva de Santarém, que havia descido de divisão e atravessava muitas dificuldades, querendo mudar de paradigma, ou seja, aproximar o clube das pessoas da cidade, fazer regressar jogadores formados nos seus quadros e, sem pressa, construir bases para um futuro ao nível da história do clube.

“A temporada decorreu acima das expetativas e aquele que seria o ano zero tornou-se num ano de valorização e credibilidade da União Desportiva de Santarém em muitos níveis, ao ponto da equipe ser qualificada para a fase de apuramento de campeão e disputar, até à última jornada, a subida de divisão. Esse feito não foi alcançado pela derrota nessa mesma última jornada, onde só a vitória o permitia o acesso”, relembrou.

No final dessa temporada, Carvalho foi convidado pela Associação Desportiva Fazendense, um clube estável na 1ª divisão distrital, que na abordagem solicitou uma mudança de panorama, com a intenção em recrutar jovens para os seus quadros e, numa perspectiva de um projeto de quatro anos, para dar estabilidade ao clube. “A Associação Desportiva Fazendense era, em 2016, o maior desafio para qualquer treinador, a nível distrital”, observou Gonçalo.

Os quatro anos do referido projeto foram concluídos no final desta temporada esportiva, sendo a juventude do plantel, o fair-play (1º ou 2º classificado nas diferentes épocas desportivas) e a qualidade do futebol (equipe desinibida, jovens com oportunidades no time principal e futebol positivo) as imagens da marca do atual Fazendense.

“Como treinador, há ainda a referir a experiência no futebol feminino do Clube Atlético Ouriense (2012, ano em que a equipa foi campeã nacional) na função de Treinador de Goleiros, função também desempenhadas nas seleções distritais sub-14 masculina e sub-17 feminina (2008 a 2011)”, explicou Carvalho.

Com tudo isso, Gonçalo Carvalho é um nome a ser acompanhado de perto por grandes equipes, pois tem investido em conhecimento e realizado trabalhos sólidos ao longo de sua carreira.

Dirigentes do BFC Daugavpils relatam ao goleiro Rhuan Jesus que Liga da Letônia segue sem data prevista para começar

O goleiro Rhuan Jesus manteve contato recente com a diretoria do BFC Daugavpils, equipe pela qual atua, e foi informado que a Liga da Letônia (Virslīga – 2020) segue indefinida. De acordo com o atleta, os dirigentes dos clubes realizam uma conferência online com os diretores da federação local.

“Os clubes se juntaram para conversar com os diretores da Federação da Letônia e ficou definido que a entidade vai repassar o pedido para iniciar a liga local para o governo. Essa foi a única novidade que me foi passada”, comentou Rhuan.

“Com isso, sigo treinando sozinho aqui em Brasília para manter a minha forma física, aguardando o momento de retornar para a Letônia e retomar o trabalho, chegando lá, pelo menos, com uma boa base física”, completou o goleiro.

O goleiro Rhuan Jesus Teixeira de Souza, de 27 anos (18 de maio de 1992), 1m90 e 85k, iniciou a sua carreira na base do União FC (Mogi das Cruzes) e, logo aos 17 anos, subiu ao profissional. Na sequência, passou pelo Nacional AC (São Paulo), Atlético Mogi (Mogi das Cruzes) e novamente União FC. Em 2013, seguiu para futebol brasiliense, atuando pelo Brasília FC (2014) e CA Taguatinga (2015/2016), depois retornou ao futebol paulista para jogar no Grêmio Catanduvense (2016). Em 2017, atuou pelo Paranoá-DF e CFZ-DF, antes de rumar para a Europa.

No futebol da Letônia, Rhuan defendeu o FK Jūrnieks (2017) e o Albratroz SC (2017/2018/2019). Entre as suas principais conquistas aparecem o título da Riga Cup – 2017 (com a defesa menos vazada) e o título Brasiliense da Série B (2015).

Johnny Monteiro completa 34 anos de Capelania Esportiva com muito êxito

Há 34 anos, o missionário evangélico Johnny Monteiro tem levado a Palavra de Deus pelo mundo esportivo, não só em nível nacional, mas internacionalmente também, independente da modalidade, já que esteve presente no futebol, basquete, surf e vôlei, entre outras, comparecendo e fazendo o seu trabalho em grandes eventos mundiais, como Copa do Mundo e Jogos Olímpicos, Mundiais de diversas modalidades, além de várias competições nacionais.

“Nesse mundo individualizado do esporte, é comum o atleta sentir-se sozinho, vivendo momentos de muita pressão. Ele se vê pressionado pela mídia, pela torcida e até mesmo pelos próprios companheiros de equipe, na busca de bons resultados”, comentou Monteiro, que um dos percursores do Ministério Atletas de Cristo no Brasil, Argentina e Paraguai.

“O atleta se vê pressionado pela própria ansiedade de progressos rápidos, diante de uma carreira curta. Toda essa situação propicia questionamentos e conflitos emocionais. As portas para o mundo das drogas também estão sempre abertas e muito próximas e se não chegam a alcançar o atleta, são fortes candidatas a preencher o vazio e a insegurança em seu coração”, explicou o missionário, que que trabalhou no São Paulo FC, Santos FC, Avaí FC, San Lorenzo, Velez Sarsfield e Boca Juniors (basquete), entre outras agremiações brasileiras, argentinas e paraguaias.

Realizando com maestria o trabalho de Capelania Esportiva desde 1985, o começo de vida para Johnny, que é graduado em Teologia, não foi fácil. Criado em um orfanato desde os quatro anos de idade, sem qualquer apoio familiar, teve que se destacar entre os colegas para poder alcançar alguns privilégios e obter qualificações que lhe permitissem sair do orfanato, mas dedicou-se e destacou-se no esporte, que passou a ser então seu referencial no mundo.

“O trabalho que realizei com o técnico Renê Simões, em Teresópolis (RJ), como capelão de um selecionado nacional sub-20 foi marcante, pois fiquei cerca de 20 dias com o grupo. Na Argentina vivi outros momentos especiais, um com o Velez Sarsfield e outro com o San Lorenzo; sendo campeão argentino ao lado do Silas, que venho acompanhando desde os tempos do São Paulo FC, quando iniciei meu trabalho”, relembrou Monteiro.

“O César Sampaio também é fruto desse trabalho, que teve uma conversão bonita, quando estava iniciando carreira no Santos FC. É um jogador de grande carreira, que o mundo todo reverencia, de repercussão nacional e internacional, que fez o primeiro gol da Copa do Mundo da França; realmente, é um ícone do futebol brasileiro e internacional”, acrescentou.

“No Surf, dentro do trabalho realizado no Guarujá (SP), atuamos com o Amaro Mattos, hoje aposentado, e alguns outros bons surfistas da época”, complementou Johnny.

Sem afeto e sem apoio familiar é muito fácil o coração encher-se de questionamentos. Isso o levou a um vazio existencial à procura de respostas, chegando à boemia e às drogas. Felizmente, João Monteiro da Silva, hoje com 69 anos, encontrou nessa época, um líder cristão que o levou a um acampamento chamado ‘Palavra da Vida’. Lá teve chance de conhecer outra verdade, a única que poderia responder às suas questões e mudar a sua história.

“Minha conversão se deu no dia 03 de julho de 1970, no Palavra da Vida, quando fui convidado para participar de uma equipe neste Acampamento de Jovens. Através do Pastor Valdemar Fomin, que me tirou literalmente da rua, em frente a Associação Cristã de Moços (ACM da Nestor Pestana, na região central de São Paulo) e me levou para esse acampamento. Na época eu era drogado e percebi neste encontro que existiam por lá jovens com atitudes diferentes, pois eu vivia na noite pelas boates, com um vazio existencial profundo, tédio e solidão, além do constante questionamento de vida”, relembrou.

“Busquei na psicanalise e na psicologia e não encontrava respostas, mas nesse acampamento, vendo a vida de atletas, sentindo aquele ambiente cristão, com jovens alegres, falando com Deus, cantando e orando; era tudo o que queria e necessitava. Eu os achava muito caretas e bitolados, mas resolvi encará-los, provocando no esporte e eles respondiam com amor e sorriso, por isso, achava que eram loucos, até que pedi para um dos líderes deste acampamento, o Volnei Faustini, mostrar o que estava acontecendo, porque aquele pessoal era daquela forma; ele, então, conversou comigo e explicou o plano da salvação”, acrescentou.

“Naquela tarde surgiu um novo Johnny, que perdura até os dias de hoje. Eu tenho um passaporte para a eternidade, através de Jesus Cristo, que comprou o meu passe e tenho a felicidade de ter uma cidadania celestial e vou estar com Ele por todo o sempre; sou feliz por pode transmitir nestes 34 anos, essa mensagem para milhões de pessoas pelo Brasil e fora também, que tem sido uma grande benção na minha vida”, complementou Monteiro.

Neste longo período na estrada, Johnny é reconhecido nacional e internacionalmente, inclusive por autoridades do esporte e imprensa esportiva, pelo pioneirismo e por seu desprendimento. A sua atuação como Capelão rendeu frutos importantes, auxiliando na carreira e na vida de grandes nomes do esporte, como: César Sampaio, Silas, Taffarel, Baltazar, Fernando Doze e Amaro Matos, entre outros.

Com esse panorama altamente positivo, Johnny Monteiro, que reside em Goiânia (GO) e lidera o ministério de Atletas de Cristo local, já realizou vários encontros e tem ‘trânsito livre’ entre atletas de clubes e das seleções nacionais de diversas modalidades para desenvolver seu sério e comprometido projeto de salvação de vidas.

Kalebe Lauback, prata da casa do Campo Mourão Basquete, completa dois anos jogando na Europa

O atleta Kalebe Lauback, prata da casa do Projeto Basquete Cidadão, mantido pela Prefeitura de Campo Mourão, através da Fundação de Esportes (Fecam), em parceria com o Campo Mourão Basquete, completou no mês passado dois anos jogando em um dos maiores clubes do mundo, o FC Porto. Com 18 anos e 1m98, o atleta começou nas escolinhas do projeto, quando tinha apenas nove anos.

No Projeto Basquete Cidadão, Kalebe participou de todas as categorias de base nos campeonatos do Paraná, se destacando e chegando aos selecionados estaduais sub-13 e sub-15. Sempre monitorado de perto pelo técnico do profissional e coordenador do projeto, Emerson de Souza, Kalebe, apesar de sua altura desde o sub-12, sempre foi trabalhado para jogar de frente para a cesta, contribuindo assim para a sua versatilidade.

“O Kalebe deixou de ser jogador do Campo Mourão Basquete e virou exemplo do projeto, pela sua disciplina, força de vontade e perseverança”, explicou Emerson.

Outro fato curioso e importante, é que Kalebe, através do basquete, mudou a vida de toda a sua família. “O pai, Eliseu, a mãe, Janine, e a irmã, Kemily, foram convidados a morar juntos com ele e estão residindo em Portugal. Vivendo uma nova fase em suas vidas”, finalizou Emerson de Souza.

André ‘Anjo do Esporte’ Brazolin entrega alimentos para população carente de cinco cidades

O ex-jogador André Brazolin mostrou o porquê é intitulado como o Anjo do Esporte. Há mais de uma semana, o gestor do Anjos do Esporte tem saído de casa, em horários distintos, para distribuir alimentos aos moradores de rua e de comunidades carentes, além das famílias das crianças e jovens que integram o projeto social, em São Paulo (SP), Santo André (SP), São Bernardo do Campo (SP), Taubaté e Araçariguama (SP).

De acordo com Brazolin, o objetivo é minimizar o sofrimento de algumas pessoas nesse período complicado, por conta da pandemia do coronavírus. “Este é um momento complicado e difícil, em que todos devem seguir as orientações dos órgãos de saúde, respeitando a quarentena e o isolamento social, pois é necessário conter o avanço do coronavírus. Com ajuda de empresários e amigos, eu consegui fazer uma arrecadação grande de alimentos e tenho saído as ruas para entregar a quem precisa”, comentou.

“Sei que isso me traz alguns riscos, mas estou tomando os cuidados necessários para evitar o contágio. O mais importante é levar os alimentos e deixar uma palavra amiga e de conforto para quem precisa; este é um momento que a solidariedade tem que entrar em ação e me sinto feliz em poder ajudar essas pessoas”, complementou André.

As entregas foram feitas na Comunidade Paraisópolis (São Paulo), num Asilo (Santo André), para Crianças Especiais (São Bernardo do Campo), Crianças do bairro Carentes da Água (Taubaté), Vale da Benção (Araçariguama) e moradores da rua Santo Amaro (São Paulo).

Para viabilizar tudo isso, Brazolin conta com apoio de muita gente, incluindo os professores Zezinho (São Bernardo do Campo) e Correa, que foi jogador do São Paulo FC, além de moradores da Comunidade de Paraisópolis. “Foi muito bom ver a cara de alegria e a receptividade de todos, que agradeceram bastante os alimentos e foram muito legais, conversando comigo sobre vários assuntos. O Esporte sempre me ensinou muitas coisas, especialmente a não ser egoísta e saber ser solidário”, explicou.

“Já entregamos cerca de duas toneladas de alimentos, entre marmitas e cestas básicas. Mas, queremos fazer muito mais, só que para isso precisamos do apoio de todos que puderem auxiliar”, acrescentou Brazolin.

“Muita gente já colaborou para que essa ação pudesse acontecer, como o EC Pinheiros, a equipe máster de basquete do SC Corinthians Paulista e o Clube Paineiras do Morumbi. Muitos empresários e amigos também colaboraram, como o Restaurante Caravana, de São Bernardo do Campo, que nos ajudou na elaboração das marmitas”, finalizou o Anjo Esporte.

Prestando serviço e esclarecendo dúvidas dos telespectadores, Tannuri se destaca no quadro Advogado do Povo

A televisão sempre teve um papel importante na educação da população. Isso ficou ainda mais acentuado neste período da pandemia do coronavírus, que obrigou o cidadão a modificar os seus hábitos de vida, entrando muitas vezes em um campo, até então, desconhecido. Além da informação e do entretenimento, os programas de prestação de serviço e informação cresceram e ganharam cada vez mais importância, uma vez que são os responsáveis por informar e alertar o espectador.

O quadro Advogado do Povo, conduzido por Sergio Tannuri, que é exibido semanalmente no Aqui na Band, programa apresentado pelos jornalistas Silvia Poppovic e Luís Ernesto Lacombe, tem chamado bastante a atenção e feito muito sucesso, pois além de auxiliar os telespectadores nas relações habituais de consumo, tem sanado dúvidas e dado dicas importantes de cuidados para este novo cenário que o país está vivendo.

“O meu compromisso é com o consumidor. A minha missão no Aqui na Band é mostrar aos telespectadores como exercer os seus direitos”, comentou Tannuri, que tem recebido muitos elogios pela eficiência em resolver os problemas apontados pelos telespectadores.

“O Advogado do Povo é sucesso e se consolidou como um aliado do público”, acrescentou Sergio.

O quadro Advogado do Povo já abordou temas relevantes e adequados para este momento, tais como: compras delivery; mensalidades de escolas, universidades, cursos e academias; devolução de valores por serviços não prestados; entre outros assuntos importantes.

Aos 47 anos de idade, o experiente e competente Sérgio Tannuri é especializado em Direito do Consumidor, área que atua há 25 anos. Recentemente, o advogado lançou o seu site oficial (https://www.tannuri.com.br), com o objetivo de manter um canal direto de comunicação com a população, esclarecendo dúvidas, fazendo orientações importantes aos internautas e recebendo as denúncias da população, que podem se transformar em reportagens do Aqui na Band.

“A cada programa, a participação do público tem crescido, com perguntas ao vivo dos telespectadores. Agora existe um canal direto para os consumidores tirarem dúvidas e mandarem suas denúncias”, finalizou Tannuri.

Visit fbetting.co.uk Betfair Review