Andreoli, Szeles e Tadiello participaram do Congresso Mundial de Traumatologia do Esporte

Os médicos Carlos Vicente Andreoli (diretor médico) e Paulo Szeles (coordenador médico da Seleção Brasileira Feminina) e Felipe Tadiello (diretor de fisioterapia) representaram a Confederação Brasileira de Basketball (CBB) no Congresso Mundial de Traumatologia do Esporte (ISAKOS) – 2019, realizado em Cancun, no México, de 11 a 15 de maio.

Segundo Andreoli, o Congresso apresentou temas importantes e atuais. “O evento, entre outros itens, abordou a atualização dos tratamentos e reabilitação dos atletas, possibilitando também o contato com a visão de especialistas de todos os continentes”, explicou.

O Congresso Mundial dê Traumatologia do Esporte contou com cirurgias ao vivo, mesas redondas, palestras envolvendo atuais tratamentos dos atletas, principalmente, das lesões do ligamento cruzado anterior e sua prevenção, além das lesões de cartilagem e os seus novos tratamentos. No tocante ao ombro, foram abordadas cirurgias de luxação e lesões do manguito rotador.

“Já no tratamento cirúrgico dos atletas foi dada grande atenção às cirurgias minimamente invasivas”, finalizou Carlos Vicente Andreoli.

Reunião Clínica da Medicina Esportiva da UNIFESP aborda ‘Atleta Transgênero no Esporte de Alto Rendimento’

A Reunião Clínica da Medicina Esportiva da UNIFESP, que ocorre na terça-feira (23 de abril), das 07h45 as 09h (de Brasília), no Anfiteatro Prof. Dr. Moisés Cohen, na zona sul da cidade de São Paulo (SP), terá três palestras gratuitas sobre um tema polêmico e ainda pouco discutido: ‘Atleta Transgênero no Esporte de Alto Rendimento’. Os palestrantes serão Dr. Roberto Nahon, Dr. Magnus da Silva e Dr. Paulo Zogaib, três gabaritados e experientes profissionais da saúde.

De acordo com Prof. Dr. Carlos Vicente Andreoli, um dos coordenadores da Reunião Clínica, esse tema tem gerado amplas discussões, pois é uma situação nova no País. “Trata-se de um assunto importante para o momento atual do esporte de alto rendimento brasileiro, que ainda não tem um consenso e, por isso, tem gerado polêmica. Para que se tenha mais conhecimento técnico, convidamos três profissionais de saúde extremamente gabaritados e experientes na área esportiva, que irão abordar o tema e passarão as suas visões dentro de suas especialidades médicas, além de abordar as suas vivências pessoais”, explicou.

Os demais coordenadores da Reunião Clínica da Medicina Esportiva da UNIFESP são: Paulo Roberto Szeles, Taline da Costa e Natalia Lima Costa.

O Anfiteatro Prof. Dr. Moisés Cohen, que fica dentro do Centro de Traumatologia do Esporte (CETE), está situado rua Estado de Israel, 636, na Vila Clementino, em São Paulo (SP).

INA realiza Curso de Atualização em Medicina Esportiva direcionado à Corrida

O Instituto do Atleta (INA) realiza no dia 27 de abril (sábado), em sua sede, na zona sul da cidade de São Paulo (SP), das 09h às 16h (de Brasília), mais um Curso do Programa de Atualização em Medicina Esportiva (AMEI). De acordo com o médico Carlos Vicente Andreoli, o conteúdo do curso é extremamente atualizado.

“Um dia totalmente dedicado à prática da corrida, com palestras ministradas por profissionais da área e o foco em como evitar lesões nesse esporte de alto impacto”, comentou Andreoli.

O Instituto do Atleta (INA) fica na rua Bento de Andrade, 252, no Jardim Paulista, em São Paulo (SP). O custo de participação é de R$ 390,00; público-alvo: médicos do esporte, fisioterapeutas e educadores físicos. Informações complementares: (11) 3887-5123.

O Programa de Atualização em Medicina Esportiva tem apoio do Laboratório Cura Imagem, Simple Pharma, Farma Viva Manipulação, Bons Momentos Cofee, Oficial Farma, Grünenthal e Damater Osteo.

Save the Date: Curso “Performance e Prevenção no Basquete”

Estão abertas as inscrições para o Curso “Performance e Prevenção no Basquete”, que será realizado no dia 15 de fevereiro de 2019 (sexta-feira), no Auditório da FAM (rua Augusta, 973, Consolação), em São Paulo (SP), com organização dos médicos Carlos Vicente Andreoli e Benno Ejnisman e dos fisioterapeutas Felipe Taddielo e Alberto Pochini.

“O Curso vai contar com temas importantes, em especial, irá abordar como otimizar a preparação do jogador de basquete, com ênfase na prevenção de lesão, preparação física e nutricional. Vários nomes importantes do basquete nacional, da medicina e da fisioterapia esportiva já estão confirmados como palestrantes, entre os quais: Clóvis ‘Vita’ Haddad, Bruno Nicolaci, Vinicius Castro, Danilo Castro, Benno Ejnisman, Felipe Taddielo e Alberto Pochini”, relatou Andreoli, que também será um dos palestrantes.

O Curso “Performance e Prevenção no Basquete”, que contará com a duração de 10 horas, abordará estes temas: Características fisiológicas, clínica e funcional do Basquete; Epidemiologia das lesões: como prevenir; Recuperação do atleta: como abordar; Como melhorar sua performance física e nutricional. O programa oficial será divulgado em 02 de janeiro de 2019 (quarta-feira).

As inscrições estão abertas a patir de 07 de janeiro de 2019 (segunda-feira). Informações complementares através do e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. , com Katia Sartori.

O Curso “Performance e Prevenção no Basquete” tem apoio da Federação Paulista de Basketball (FPB) e da Confederação Brasileira de Basketball (CBB).

Lesão do Ligamento Cruzado Anterior do joelho no basquete

por Carlos Vicente Andreoli (*)

As lesões do joelho no atleta de basquete são comuns e extremamente incapacitantes e correspondendo de 20 a 40% das lesões agudas. Os entorses envolvem sempre as articulações e provocam na maioria das vezes lesões ligamentares.

A combinação das paradas repentinas, dribles, mudanças de direção e giros sobre o próprio corpo, podem ocasionar às lesões por entorse o joelho. O mecanismo de lesão do ligamento cruzado anterior mais comum ocorre sem contato entre os jogadores, em 75% das vezes. As lesões no sexo feminino são 04 a 08 vezes mais frequentes que nos homens. Normalmente, quando o atleta torce o joelho pode ocorrer à lesão dos ligamentos colaterais (medial ou lateral), dos ligamentos cruzados anterior ou posterior e da cartilagem, sendo desde uma lesão mínima (Grau 01), uma lesão parcial (Grau 02) até uma ruptura completa das estruturas (Grau 03).

A dor é o principal sintoma acompanhado de inchaço ou não do joelho. O atleta deve ser afastado da quadra (substituído) e examinado. Coloca-se gelo de imediato e evita-se colocar o pé no chão. O atleta deve ser encaminhado para o pronto socorro. As radiografias (Raio-X) são importantes para evidenciar a presença ou não de fraturas. Posteriormente, realizamos a Ressonância Magnética onde evidenciamos melhor as estruturas afetadas: o ligamento cruzado anterior ou posterior, as lesões do menisco e da cartilagem.

Nas lesões do menisco medial ou lateral, a cirurgia por artroscopia é indicado para retirada da parte do menisco lesado ou a sutura do menisco. Atualmente procura-se preservar a maior parte do menisco possível na cirurgia. As lesões do ligamento cruzado anterior são de indicação cirúrgica. Existem diversas técnicas para a reconstrução do ligamento cruzado anterior rompido. Atualmente duas técnicas são mais indicadas: a reconstrução com o enxerto do ligamento patelar ou dos tendões do semitendíneo e grácil. Pode-se realizar ainda em casos especiais, o tendão quadricipital ou o ligamento patelar do outro joelho.

Após a cirurgia, o atleta inicia o tratamento de reabilitação e o retorno ao esporte acontece em média após seis meses, independente da técnica realizada. Na NBA (liga profissional norte-americana), 97% dos atletas submetidos à reconstrução do ligamentar cruzado anterior retornaram à prática.

Os programas de prevenção de lesão, principalmente as atletas do sexo feminino, devem ser enfatizados com programas de treinamento e trabalho específico de condicionamento, propriocepção e fortalecimento muscular para musculatura do quadril, coxa e perna.

(*) Carlos Vicente Andreoli é Doutor em Ortopedia pela UNIFESP; Mestrado, Doutorado e Professor Adjunto pela UNIFESP. Atualmente é o chefe da Disciplina de Medicina Esportiva do Departamento de Ortopedia da Universidade Federal de São Paulo

 

Andreoli será o Coordenador da Equipe de Saúde na Arena Carioca 01

A Olimpíada chegou. Após meses de preparativos, no período de 06 de agosto a 21 de agosto, o médico Carlos Vicente Andreoli irá coordenar a equipe de saúde da ‘Arena Carioca 01 – modalidade Basquete’, no Rio de Janeiro (RJ), como Venue Medical Manager (VMM), junto com Joseane Barbosa, que será Medical Operation Manager (MOM).

“Agradeço ao Comitê Olímpico Internacional pela confiança, especialmente ao Dr. João Alves Grangeiro e ao Dr. Richard McDonagh. Foram muitas reuniões, treinamentos e planejamentos dos atendimentos”, comenta Andreoli.

De acordo com Carlos Vicente, a ‘Arena Carioca 01 – modalidade Basquete’ contará com a presença diária de seis médicos, quatro enfermeiros, quatro fisioterapeutas e oito socorristas. Três postos de atendimentos – Field of Play (FOP) – auxiliará o atendimento de emergências na quadra, posto dos atletas e dos espectadores.

“Estaremos, diariamente, acompanhando atletas das 12 seleções (144 atletas), com quatro jogos diários, família olímpica, jornalistas, dirigentes e 40 mil espectadores”, finaliza Andreoli.

 

Cirurgia do armador Ricardo Fischer transcorreu dentro do planejado

O experiente médico Carlos Vicente Andreoli deu alta médica para o atleta Ricardo Fischer no início da tarde deste sábado (26 de março). O armador do Paschoalotto/Bauru BT e da Seleção Brasileira foi submetido a uma cirurgia para a reconstrução do Ligamento Cruzado Anterior (LCA) do joelho direito, na sexta-feira (25 de março), no Hospital Alvorada, na Zona Sul da cidade de São Paulo (SP).

De acordo com Andreoli, do Instituto do Atleta (INA), Fischer já começou a fazer o trabalho fisioterápico. “Correu tudo bem com a intervenção cirúrgica, foi dentro do que havia sido planejado. O Ricardo já iniciou o trabalho de fisioterapia e o seu retorno às quadras deve ocorrer dentro de seis meses”, explica Carlos Vicente Andreoli, que conduziu a cirurgia ao lado de sua equipe de trabalho.

A contusão de Ricardo Fischer aconteceu no dia 11 de março, na disputa da semifinal da Liga das Américas – 2016, em duelo contra o CR Flamengo, realizado na Venezuela.

Cris Paul atuando com lesão muscular na coxa? Foi possível!

Durante o sétimo jogo do playoff – quartas-de-final da Conferência Oeste, na temporada 2014/2015 da NBA (Liga Profissional Norte-americana), ocorrido na noite de sábado (02 de maio), no Staples Center, em Los Angeles, envolvendo Los Angeles Clippers e San Antonio Spurs, no primeiro quarto o armador Cris Paul, da equipe da casa, ‘sentiu uma fisgada’ na região posterior da coxa. A sua atuação seguinte e o término épico do jogo mostram o quanto o esporte pode pregar surpresas entre a teoria e a prática nos traumas esportivos.

“Toda cena envolve uma lesão muscular na perna esquerda, que para Paul é a de apoio para o salto do arremesso e, mesmo assim, ele foi até o fim. Provavelmente, foi uma lesão muscular grau I (envolve menos de 5% do volume muscular). Nas lesões musculares grau I, a incapacidade é tolerada, ocorre pouca limitação funcional, mas a continuidade do exercício pode afetar e aumentar a lesão. O atleta deve ter feito exame no vestiário e retornou, jogando em grande estilo. No momento agudo, pode utilizar medicação analgésica e anti-inflamatória e gelo local para analgesia”, explica o experiente médico Carlos Vicente Andreoli.

“Nas lesões grau II (5 a 50% - lesão parcial) e nas de grau III (50 a 100% - lesão completa), o envolvimento maior da lesão provoca uma incapacidade maior e limitação funcional incompatíveis com a prática”, acrescenta Andreoli, que é o coordenador da Residência de Medicina Esportiva UNIFESP e diretor técnico do Instituto do Atleta.

De acordo com Carlos Vicente, a decisão do retorno á quadra foi temerária, mas o atleta permaneceu correndo e adaptando-se a todos os momentos do jogo. “Como era o jogo 07 da série e a derrota significaria o fim da temporada, correu-se o risco e o final foi espetacular. Neste episódio, vimos um capítulo para história de um jogo de NBA, em que o atleta jogou com uma lesão muscular durante quase toda a partida e decidiu o jogo”, completa o médico, que também foi jogador de basquete.

O Los Angeles Clippers bateu o San Antonio Spurs, em jogo histórico, por 111 a 109, se qualificando a semifinal da Conferência Oeste, quando irá enfrentar o Houston Rockets.

Visit fbetting.co.uk Betfair Review