“Outubro Rosa”: caráter essencial do psicólogo na equipe multidisciplinar

No decorrer do recém findado mês de outubro, a campanha “Outubro Rosa” conscientizou a população sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama. A psicóloga Hortênsia de Luiz Rosito destaca a relevância e necessidade da conscientização do acompanhamento psicológico, focalizando em especial o impacto na autoestima da mulher, desde o momento em que recebe a confirmação do quadro.

“Inevitável, a angústia mediante a constatação de mutilação e deformidade da parte de seu corpo ligada culturalmente à feminilidade, sensualidade e sexualidade. As primeiras reações podem ser isolamento e solidão: esconder-se do mundo e guardar para si sua tristeza e sentimento de impotência”, explicou Hortênsia.

Essa forma de enfrentamento solitário afeta a autoestima e pode produzir comorbidades emocionais, como o Transtorno de Estresse Pós-traumático. “Sentimentos depressivos, fóbicos, obsessivos compulsivos, ansiedade persecutória, pensamentos suicidas”, relacionou Hortênsia.

Na visão da experiente psicóloga, essa mulher precisa ser acolhida, ouvida e compreendida em suas fantasias, desespero, vergonha, sentimento de inferioridade, medos e incertezas. “Sem dúvida é um choque de extrema relevância. Seus medos são legítimos”, advertiu Hortênsia.

O trabalho do psicólogo enfocará a ressignificação não só de seu corpo, como fundamentalmente de sua vida. “Um importante, essencial e contínuo processo de psicoterapia terá como finalidade a reestruturação dessa personalidade e seguimento satisfatório de sua existência”, finalizou Hortênsia de Luiz Rosito, que é psicóloga clínica graduada, com pós-graduação em Psicoterapia psicanalítica pelo Núcleo de Estudos em Psicoterapia e Psiquiatria.