Visando conscientização da psoríase e artrite psoriasica, Rick Verreschi disputa prova internacional de Triathlon

O Esporte é uma fonte inesgotável de saúde; isso todo mundo está ciente, pois evita uma série de doenças, melhora o bem estar e traz uma satisfação muito grande, lógico que se praticado dentro de um limite pessoal e amparado por exames médicos regulares.

Essas propriedades são extremamente divulgadas pela mídia e uma fatia enorme da população tem plena ciência destes benefícios. No caso específico do empresário e triatleta amador Rick Verreschi, de 45 anos, a prática esportiva regular e bem orientada foi além de tudo isso. Diagnosticado com psoríase em 2000 e artrite psoriasica em 2012, Rick, segundo alguns médicos especialistas, deveria abandonar a prática esportiva de intensidade e endurance, visto que a enfermidade causaria deformidades físicas e dores constantes, limitando inevitavelmente as suas atividades diárias, além de colocá-lo em uma situação de dependência regular de medicamentos imunossupressores.

Não conformado com esse quadro e motivado pela sua fé, Verreschi foi a luta, ou seja, pesquisou e leu muito sobre as doenças, estudou profundamente o assunto e correu atrás de outros pareceres, inclusive fora do país com o médico vegetariano John McDougall, que finalmente lhe deu esperanças. Além de depoimentos e histórias similares, Rick encontrou na mudança nutricional e na dosagem personalizada da atividade física a equação para seu problema de saúde.

“Através do Dr John fiquei sabendo que a psoríase e a artrite poderiam ser controladas graças a estes dois fatores e aliados a muita disciplina. Em uma enfermidade autoimune, você dorme e acorda com seu inimigo dentro de si, cabe a cada um decidir se quer alimentar seu oponente ou deixá-lo adormecido. Tanto a psoríase quanto a artrite psoriasica não são contagiosas, mas não tem cura, afetam mais de 150 milhões de pessoas em todo o mundo e as causas são ainda pouco conclusivas. O que se sabe, porém, é que existe uma relação muito forte entre os efeitos anti-inflamatórios da alimentação e da atividade física”, relatou Verreschi, que depois de 12 meses teve os sintomas de ambas as doenças suprimidas.

Rick mudou radicalmente sua planilha de treinos e, principalmente, sua nutrição seguindo as orientações de profissionais de educação física, a nutricionista clínica especializada em psoríase, Marina Yazigi Sollis, e do médico americano, abolindo de seu cardápio diário itens que se soube depois causavam a exacerbação dos efeitos das duas doenças. “Com essas medidas e muita determinação e disciplina passei a viver melhor, as dores sumiram e tive uma evolução substancial na minha qualidade de vida e desempenho esportivo”, comentou.

Com essa nova realidade, Verreschi vestiu de vez a camisa da conscientização sobre a psoríase e a artrite psoriasica e, pensando em auxiliar outras pessoas que estão na mesma situação ou aqueles que nem sabem que tem as doenças e não sabem o que fazer; o triatleta vai usar a sua participação no Surf City Escape Triathlon, que será realizada no dia 22 de abril (domingo), em Huntington Beach, na Califórnia (EUA), como fonte de inspiração e superação a todos que estão na luta por uma vida melhor, demonstrando que se algumas medidas regulares forem tomadas, a psoríase pode ser controlada.

“Vou disputar a prova com a National Psoriasis Foundation (NPF) no peito, a principal ONG Mundial de estudo e informação sobre a psoríase. Quero disseminar que existe vida após o diagnóstico, fazer minha parte contra o preconceito e dizer que tem gente trabalhando duro para dar suporte e melhoria da qualidade de vida”, relatou Rick, que seguirá para os Estados Unidos no dia 16 de abril.

“Chegarei com tempo necessário para me aclimatar e realizar os últimos treinamentos”, complementou.

Para viabilizar a sua participação nesta prova, Verreschi conta com apoio da National Psoriasis Foundation, Bike Stop, Cris Racca, Instituto Livta, Self Id e A.Giglioli Assessoria Esportiva.


Visit fbetting.co.uk Betfair Review